sábado, 13 de Dezembro de 2008

O que é?

A Perturbação de Gilles de la Tourette é uma patologia neuropsiquiátrica caracterizada por vários tiques, sendo diagnosticada na infância, por volta dos 6 anos de idade, afectando mais os homens.
Os tiques são diversos e bizarros, podendo ser vocais ou motores. São definidos como movimentos ou vocalizações rápidas, recorrentes e estereotipadas. Podem também ser classificados como simples, quando envolvem contracções de grupos musculares funcionalmente relacionados (piscar os olhos, torcer a boca), ou complexos em que envolvem grupos musculares que não estão relacionados funcionalmente (saltar, correr). Os sujeitos possuem consciência dos seus tiques e tentam suprimi-los em situações sociais. No entanto, isto nem sempre é possível porque eles sentem uma tensão num determinado ponto do corpo que antecede o tique, sendo aliviada após a sua expressão.

Quais as características

Os sujeitos que possuem Tourette normalmente evitam as situações de visibilidade social porque o stress e a ansiedade acentuam os tiques. Para além disso, durante a idade escolar os tiques podem ser interpretados como comportamento rude, o que leva a acções disciplinares, desempenhos escolares pobres, isolamento social e a problemas emocionais.
Estão também associadas a esta doença a Perturbação Obsessivo-Compulsiva e a Perturbação de Hiperactividade com Défice da Atenção. A primeira caracteriza-se por pensamentos recorrentes e persistentes que são aliviados por comportamentos ritualistas, como lavar as mãos repetidamente. A segunda refere-se à incapacidade de focar a atenção em tarefas importantes durante longos períodos de tempo sem ocorrer distracção. Ambas as perturbações causam ansiedade e sofrimento acentuado aos sujeitos que delas padecem, podendo provocar mal-estar social, tristeza, isolamento e alterações de personalidade.

Causas

Ainda não foi descoberta a causa da Perturbação de La Tourette. Sabe-se que certas estruturas cerebrais estão implicadas na doença, como o tálamo, o núcleo caudado e o córtex pré-frontal anterior.
Acredita-se que esta doença pode ser genética, sendo transmitida de geração em geração, estando mais implicada a herança paterna. No entanto, existe uma outra hipótese que defende que a sua origem está associada a anticorpos direccionados a infecções que antecederam a perturbação, como a infecção por streptococcus.

Tratamento

O tratamento é caracterizado por uma abordagem multidisciplinar que engloba neurologistas, psiquiatras, psicólogos, entre outros. Tem como objectivo gerir os tiques incapacitantes, o tratamento de sintomas comportamentais e a educação da família e do paciente.
Este pode ser farmacológico ou terapêutico, sendo a primeira forma dirigida aos casos mais severos. Actualmente descobriu-se um novo tipo de tratamento com base na cirurgia, mas esta comporta muitos riscos e encontra-se ainda em fase experimental.

O que fazer?

Ter Tourette não significa ser diferente. Na verdade, os portadores de Tourette têm um desempenho igual ao das pessoas não portadoras, sendo o único entrave a presença dos tiques que lentificam as actividades.

Contactos úteis